Impacto Da Impressão 3D Para os Negócios

A impressão 3D já pode ser classificada como uma megatendência, uma força transformadora de abrangência mundial, que se mostra capaz de causar impactos e definir o futuro dos negócios, sociedades, economias, culturas e a vida das pessoas.

A ANPEI (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadora) estima um crescimento no uso das impressoras 3D de 23% até 2021, ao passo que até 2020, em artigo publicado pela Forbes (2015 Roundup of 3D Printing Market Forecast and Estimates), o mercado mundial de impressão 3D deve arrecadar mais de U$ 21 bilhões em receita mundial.

Mesmo considerando a imprevisibilidade das projeções, dados da PwC (Price waterhouse Coopers) apontam que em 2015, 67% da indústria manufatureira americana já utilizava as impressoras 3D.

Estes números são sinais claros do impacto da impressão 3D para os negócios, mesmo que no Brasil este cenário ainda esteja dando os primeiros passos, segundo informações do site O Globo, o mercado brasileiro representa 2% do total de negócios mundial em impressão 3D.

Como Funciona a Impressão 3D?

A primeira impressora 3D construída por Chuck Hull em 1984, tinha como base a tecnologia de estereolitografia (SLA), sua principal função era imprimir partes de plástico de resina, fazendo com que um processo que durava até 8 semanas para ser concluído, fosse reduzido para apenas algumas horas.

Em 1988 Scott Crump co-fundador da Stratasys 3D Printer, criou a mais importante tecnologia de impressão 3D a FDM, Fused Deposition Modeling (Modelagem por depósito de material fundido), uma tecnologia de ampla abrangência, que tornou a Stratasys líder mundial no segmento.

Atualmente a impressão 3D em FDM possui dezenas de materiais compatíveis com os mais variados segmentos. Com o surgimento da tecnologia PolyJet no início dos anos 2000, ampliaram-se ainda mais as possibilidades aplicações, tornando a impressão 3D ainda mais usual.

A impressão 3D tem conseguido expandir seu espaço na indústria devido ao processo de manufatura aditiva que aproveita 100% da matéria prima utilizada durante a fabricação, ao passo que o processo subtrativo, tradicionalmente utilizado pela indústria pode desperdiçar, em alguns casos, até 80% da matéria prima original.

Devido este gargalo criado pela manufatura tradicional, a impressão 3D tem provado suas vantagens, tanto em economia (até 60% mais econômica), quanto em tempo de manufatura. Do desenvolvimento de um projeto até sua aprovação, a indústria gasta semanas, para viabilizar um projeto, enquanto a impressão 3D é capaz de conceber o mesmo projeto em apenas algumas horas.
A seguir veremos alguns exemplos de empresas brasileiras que adotaram a impressão 3D e causaram um grande impacto positivo nos seus respectivos negócios.

O Impacto Das Impressões 3D Nas Empresas Brasileiras

Algumas empresas brasileiras adotaram a impressão 3D para otimizar o processo de manufatura. A Peel projetos e produtos, empresa de Esteio, RS, adotou em 2017 a impressão 3D para desenvolvimento de moldes de injeção. Com isso, as alterações feitas em cada peça, em alguns casos foram até R$ 50 mil reais mais baratas, com uma redução média de 80% no tempo de produção quando comparados aos métodos tradicionais. O valor investido no equipamento obteve retorno em apenas 1 ano. Graças à impressão 3D, a Peel conseguiu reduzir em aproximadamente 70% o preço do seu produto final.

A Autometal, empresa do ramo da indústria automotiva situada em Diadema, SP, é outro exemplo de sucesso. Através da utilização da Impressora Stratasys F370, a empresa conseguiu antever possíveis problemas criando soluções prévias para os projetos de seus produtos, reduzindo substancialmente o prazo de validade de alguns processos produtivos. Além disso, a adoção da tecnologia possibilitou a Autometal desempenhar uma segunda bem sucedida atividade no ramo automotivo, com a fabricação de dispositivos de montagem de pequeno porte.

Como último exemplo, a Albéa Brasil, empresa com unidades em Mogi das Cruzes e Jundiaí, SP, utiliza duas impressoras 3D Stratasys, a Objet260 Connex3 e a F170 para prototipagem, para antecipar os possíveis problemas na criação dos modelos de testes de seus produtos. A expectativa de retorno do investimento é de 72 meses.

Como dissemos, o processo de prototipagem 3D reduz em até 60% os gastos de produção em comparação com os processos tradicionais, além da redução evidente do tempo gasto. Estes elementos, alinhados ao avanço da tecnologia 3D e à adoção de empresas pioneiras, tanto na utilização do equipamento, quanto na vanguarda da venda dos equipamentos, contribuem para o crescimento do mercado brasileiro e mundial. A Comprint, empresa com larga experiência em soluções de impressão, ajudando a impactar a indústria e a alterar forma de trabalho das principais empresas do ramo.

Postagens Relacionadas