Embalagem: a História e Importância Atual

As embalagens têm uma função vital para a indústria além de “estocar” e comunicar. Seu objetivo é guardar os produtos de maneira segura e ao mesmo tempo transmitir informações referentes à marca e ao produto, como procedência, qualidade e dados técnicos, agrupados de maneira que a comunicação visual esteja de acordo com a identidade da empresa, com o objetivo de criar um vínculo subconsciente com os clientes.

Ou seja, as embalagens evoluíram para se tornar essencial no “meio” comercial, disputando espaço nas prateleiras, para conquistar clientes, ser eficiente e belo são os preceitos de um bom invólucro.

A História da Embalagem

A história da embalagem é tão antiga quanto à própria sociedade, há mais de 10.000 anos atrás, as embalagens serviram apenas como recipientes, para beber e estocar alimentos, eram objetos simples, como cascas de coco ou conchas marítimas em estado natural. A segunda geração das “embalagens” eram cestas e fibras naturais, bolas feitas de peles de animais, potes de barro, entre outros.

O primeiro recipiente produzido em grande escala a partir de uma matéria prima foi o vidro, aproximadamente no Séc I d.C. Os artigos em ferro, cobre e estanho, surgiram na mesma época que a segunda geração, porém apenas na era moderna passaram a ser usados com o mesmo propósito que as embalagens.

Em 1830, as latas de estanho, utilizadas para enlatar alimentos surgiram através da Marinha Inglesa e se difundiram durante a Segunda Guerra Mundial. Isso aumentou a demanda de latas de estanho e a matéria prima teve de ser substituída por alumínio.

Em 1959, a Adolph Coors Company iniciou as vendas de cervejas em latas de alumínio. Ainda no pós-guerra, um novo material surgiu, o plástico, as resinas do material, como polietileno, poliéster, entre outros, deu origem a uma infinidade de invólucros transparentes, de diferentes formatos e tamanhos.
Juntos, essas matérias primas inauguraram uma nova era para o marketing das mercadorias, criando as embalagens como as conhecemos.

As Embalagens no Brasil

Após a Segunda Guerra Mundial a escassez do estanho forçou a indústria a procurar por alternativas, encontrando assim o alumínio e o plástico. Porém antes de falarmos efetivamente do panorama atual das embalagens, vamos entender rapidamente qual era o cenário brasileiro na época.

No Brasil até 1945 pouquíssimos produtos eram pré-acondicionados para o comércio, poucos itens alimentícios eram embalados, como café torrado e moído, açúcar refinado, extrato de tomate, leite em garrafa, óleo de semente de algodão e o vinagre.

Outros produtos embalados eram a cerveja, o cigarro, a creolina, cera para assoalho, inseticidas líquidos e produtos de perfumaria, toucador e dentifrícios.
Nesse período os produtos básicos eram vendidos a granel, ou seja, pesados no balcão e embrulhados em sacos de papel.
Mesmo que os diversos setores tenham reagido às necessidades causadas pela Segunda Guerra Mundial, a produção de embalagens plásticas na indústria brasileira passou a crescer efetivamente após a década de 70.

A Importância Das Embalagens Atualmente

O mercado de embalagens envolve diversas áreas desde a fabricação dos materiais, a distribuição para os produtores e o design, assim como os processos de reciclagem, fazendo com que o setor seja muito movimentado financeiramente.
Em se tratando de produção, o Brasil é o 5º maior do mundo, tendo fabricado o equivalente a mais de US$ 35 bilhões em 2014 em embalagens, cerca de 1,5% do PIB nacional.

Essa importância mercadológica tem uma explicação concreta, as embalagens são muitas vezes o principal responsável pela venda de um produto. No campo do marketing, as empresas apostam no design e na identidade visual dos produtos para atrair os clientes, essas informações são baseadas em conhecimentos prévios, dos quais as pessoas respondem quase que imediatamente. São estímulos visuais que não dão vazão à interpretações ambíguas.

Segundo pesquisa realizada pela Nielsen, mais de 70% dos consumidores decidem-se pelo produto que vão adquirir no momento da compra, ou seja, mesmo que haja campanhas de marketing bem estruturadas por trás de cada produto, o impacto no PDV ainda é fundamental para a indústria.

Mudanças de Panorama – a Impressora HP Indigo 12000

Mesmo durante a era moderna das embalagens, muita coisa mudou no tangente a fabricação. Os processos de produção manuais passaram a disputar espaço com impressoras digitais como a HP Indigo 12000, que possibilitou ainda mais à expansão e multipluralidade do segmento.
A impressora HP Indigo 12000 é um equipamento focado em impressão de pequenas tiragens, mas com o aspecto de personalização, que traz muito mais valor agregado para cada trabalho.

Além disso, existe um grande custo-benefício com esses equipamentos, a impressora HP índigo 12000 realiza cada trabalho com matrizes digitais, diferentemente dos processos tradicionais que para cada tiragem necessita de matrizes físicas novas, aumentando ainda mais o custo de produção e tornando pequenas e personalizadas tiragens totalmente inviáveis.

Em resumo, as impressoras de embalagens digitais representam mais uma virada na história das embalagens no mundo, abrindo possibilidades ainda maiores de inovação e eficiência para indústria.

Gostou do tema? Continue acompanhando o blog da Comprint para ter mais informações como essas e aproveite para conhecer um pouco mais sobre os nossos produtos e serviços, como a linha completa de impressoras HP Indigo.