O que é indústria 4.0?

Devido a forma que o público vem consumindo determinados conteúdos, a indústria gráfica tem passado por muitas transformações para acompanhar as tendências de seus clientes.

Para o ano de 2018, a estimativa é de que a indústria gráfica brasileira movimente ao menos R$ 45 bilhões em negócios, visto que este foi o crescimento em 2017 e para este ano espera-se que o avanço fique em torno de 10% a 12% (fonte: https://bit.ly/2ziExee). Esse valor é constituído principalmente por pequenas e médias empresas, que estão de olho no movimento do mercado.

Neste artigo falaremos da relação da indústria gráfica com as mudanças tecnológicas e qual o papel da chamada indústria gráfica 4.0.

 

Entenda o que é indústria 4.0

Indústria 4.0 é um conceito proposto recentemente e basicamente compreende tecnologias de automação, troca de dados e conceitos de sistemas cyber-físicos, convergindo essas tecnologias de modo que tornem os processos de produção cada vez mais eficientes, autônomos e customizáveis.

Os princípios da Industria 4.0 consistem em:

  • Operação em tempo real
  • Virtualização, uma cópia virtual das fábricas inteligentes
  • Descentralização das tomadas de decisão
  • Orientação a serviços
  • Modularidade e produção de acordo com a demanda

 

Como funciona a indústria gráfica 4.0?

Para tornar este um cenário real, é necessário haver uma introdução gradual de novas tecnologias de TI e automação industrial com o objetivo de montar um sistema de produção cyber-físico independente e que seja capaz de digitalizar informações, além de manter a comunicação direta entre sistemas, máquinas, produtos e pessoas.

Ou seja, unir o conceito de internet das coisas com a automatização industrial para agregar inteligência à manufatura.

Aplicar este conceito à indústria gráfica 4.0 não seria um passo tão largo, visto que algumas impressoras digitais, como a linha de impressoras HP Indigo, possuem seu próprio sistema de comunicação em nuvem. Seu sistema interage com os operadores tanto pela interface como através de periféricos, como computadores e celulares conectados à mesma rede.

 

Impactos na indústria gráfica brasileira

Com o conceito de indústria 4.0 implementado, a realidade da indústria gráfica brasileira já está passando por grandes transformações.

O sistema físico-cibernético recebe dados externos contendo determinadas informações. A partir delas, o sistema central inicia uma cadeia de tomadas de decisões automaticamente com parâmetros determinados previamente por gestores.

Vamos supor que uma determinada matéria prima para impressão passe a não ser mais fabricada ou que haja uma alteração na demanda do pedido, nas cores da impressão e assim por diante. O sistema automaticamente inicia as intervenções e os ajustes cabíveis para as alterações.

Nessas ações, o sistema já consideraria as intercorrências possíveis durante o processo e reprograma toda a produção de modo a atender a demanda e realizar a entrega do pedido dentro do prazo previsto.

Os impactos da implementação da indústria gráfica 4.0 passa a evitar ao máximo os desperdícios de tempo de produção, insumos e erradicar ao máximo falhas humanas. Esta é uma otimização completa de todas as etapas de produção.

 

Considerações finais sobre a indústria gráfica 4.0

É uma questão de tempo para a indústria 4.0 se torne uma realidade cada vez mais próxima no mercado brasileiro.

Na Comprint, as impressoras digitais 2D e 3D estão um passo dessa convergência. São modelos completos, como a linha de impressoras da HP Indigo e as impressoras  3D Stratasys, entre muitas outras.

Postagens Relacionadas